O tal mito do fio terra

Publicado no Terra.com em 27/10/2011

Com o passar do tempo em uma relação é comum que o casal desenvolva certas intimidades na cama. Porém, o que fazer quando tanta abertura acaba gerando desconforto em um dos parceiros? Um dos principais causadores dessas situações, na hora do sexo, é o temido e subjugado “fio terra“.

A maioria dos rapazes não suporta pensar na possibilidade.

Segundo Marina Vasconcellos, psicóloga pela PUC-SP, terapeuta familiar e de casal (UNIFESP), especialista em Psicodrama Terapêutico pelo Instituto Sedes Sapientiae e psicodramatista didata pela Federação Brasileira de Psicodrama (FEBRAP), isso acontece porque muitos homens acham que se sentirem prazer na região do ânus será uma ameaça à sua heterossexualidade, ou seja, têm medo de gostar e não poder admitir, pois pra eles “isso é coisa de gay“.

Porém, há aqueles que gostam. Muitas mulheres não sabem como reagir quando o rapaz demonstra interesse e até pede que ela “invada” um lugarzinho tão protegido. Outras, assim como alguns heterossexuais, acreditam que se o companheiro sentir prazer nessa região significa que ele não é tão “macho” como ela pensava.

Para as pessoas que pensam dessa forma a psicóloga diz: “Que não há qualquer relação entre sentir prazer anal e ser homossexual, uma coisa não implica na outra, é apenas uma questão física”.

Anatomicamente, o ânus masculino e feminino é idêntico. Ou seja, se há mulheres que sentem prazer nessa região, homens também podem sentir. Esta região proporciona prazer por ser um local com grande quantidade de terminações nervosas e muita irrigação sanguínea, assim como a glande do pênis e a vagina.

No caso das mulheres que não cultivam esse preconceito e que querem aumentar a intimidade e os prazeres na cama, a psicóloga dá as dicas: “Deixe claro que ele tem total liberdade de sentir prazer e que não terá sua masculinidade ameaçada. Além disso, diga que é uma questão física apenas, sem outras preocupações.”

Marina Vasconcellos garante que o diálogo é sempre melhor pedida, em qualquer assunto: “Mas não se deve falar muito a respeito. Em alguns casos o melhor é fazer, com jeito e calma, seduzindo o parceiro para que ele não se sinta desconfortável”. Esqueça o preconceito e aproveite o momento e a companhia.

Por Bianca de Souza (MBPress)

 

Leitura turbina o cérebro e combate a insônia

Hábito pode adiar a perda da memória associada à idade

Publicado em 15/10/2010 no www.minhavida.com.br

 

Quantos livros você já leu ao longo da vida? Se você consegue contá-los na ponta dos dedos, foram poucos. Uma pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, sob encomenda do Instituto Pró-Livro, mostrou que 45% da população do país não têm o costume de ler. Quem engrossa esse percentual provavelmente não tem ideia dos benefícios que a leitura traz.

Uma pesquisa realizada pela Clínica Mayo, em Minnesota, nos Estados Unidos, mostrou que ler livros como passatempo pode adiar a perda da memória associada à idade. O estudo contou com 200 pessoas entre 70 e 89 anos com leves lapsos de memória. Aqueles que, na meia idade, se ocuparam com leitura, jogos ou hobbies apresentaram 40% menos risco de ter o problema. “Uma boa leitura pode relaxar, aguçar a criatividade, aumentar o vocabulário e o conhecimento”, explica a psicóloga e psicanalista Claudia Finamore.

Muita gente atribui leitura escassa à falta de tempo. Nas horas vagas, as pessoas dão preferência a outros hábitos, como ver televisão. A leitura, principalmente de livros, é algo relacionado à infância: aquela história que os pais contavam antes de dormir ou o livro cheio de figuras que era obrigatório na escola.

 

Por isso também ler se torna uma atividade magnífica. Libera a imaginação e faz você ser criança novamente. “Livros de ficção nos fazem viajar por um mundo de possibilidades ainda não exploradas. Os romances que descrevem viagens por lugares antes desconhecidos nos levam para longe da nossa rotina, deixando-nos por algum tempo relaxados e dando asas à nossa imaginação“, complementa a psicóloga Marina Vasconcellos, especialista em psicodrama terapêutico.

A leitura ainda é um ótimo remédio para quem tem problemas para dormir. “Ler algo por distração é extremamente relaxante e calmante, por isso é indicado para quem sofre de insônia“, afirma a psicóloga.

Por todos esses motivos, realizar uma leitura com frequência pode fazer maravilhas pela sua vida. A psicóloga Claudia Finamore explica que ler é um trabalho mental grandioso, pois exige uma atividade bem estimulada que traz muitos benefícios para a saúde cerebral.

 

Amizade cura doenças e afasta os vícios para longe

Ela incentiva a largar o cigarro, ajuda a emagrecer e até afasta o estresse

Publicado em 11/6/2009 no www.minhavida.com.br

 

Você nunca gostou de esportes. Mas, começando a trabalhar com pessoas que fazem exercícios, sente um desejo súbito de experimentar. Até o cigarro, que provocava sua força de vontade, passou a ficar de lado depois que você começou a participar de uma turma mais saudável. Mágica? Não, ciência pura, conforme comprovam as pesquisas, incluindo um estudo recente realizado em Harvard, uma das mais prestigiosas universidades de todo o mundo.

No levantamento, os especialistas descobriram que a amizade é um antídoto e tanto contra qualquer nível de desmotivação. Mesmo uma pessoa que tenha extrema aversão a acordar cedo, por exemplo, pode fazer o sacrifício e ainda gostar! de sair da cama com o canto do galo se conviver com pessoas que fazem o mesmo.

“Quando sentimos afinidade por alguém, naturalmente queremos imitar os hábitos daquela pessoa. É uma maneira de ser aceito pelo grupo e de mostrar cumplicidade”, afirma a psicóloga Marina Vasconcellos. As pessoas ao redor, portanto, têm papel decisivo nas suas escolhas (ainda que isso passe despercebido no dia a dia). Quando você participa de grupos de apoio ou conhece pessoas com uma doença parecida à sua, por exemplo, as chances de retomar a saúde aumentam, porque a rotina dispensa os hábitos que seguem na contramão do tratamento em favor de outros, que contribuem para o reforço da imunidade.

 

Círculo virtuoso 
Os amigos também podem auxiliar na superação de problemas, dando força na hora do desespero. Isso acontece na ocasião em que falta incentivo ou quando a encrenca aparenta ser tão grande que nenhuma saída surge à vista. “O acolhimento que os amigos oferecem dão força para resolver as dificuldades, ainda que elas pareçam insolúveis”, diz a especialista. As mulheres, famosas por dividirem problemas e novidades com as amigas, não à toa comportam-se com mais calma em momentos de tensão.

E o efeito não vem apenas do apoio em si, mas dos efeitos dele. Quando convive com pessoas otimistas, as chances de que você também dê muito mais risadas crescem em até 60%, ainda de acordo com a pesquisa de Harvard. Se a atitude positiva não tem poder de diminuir os problemas, pelo menos impede que eles prejudiquem a sua saúde, agravando quadros de estresse e de doenças cardiovasculares. Mas é preciso ficar atento: do mesmo jeito que o sorriso é contagiante, o mau humor também se espalha feito poeira.

Para se prevenir, não tem outro jeito a não ser ficar atento. Claro que virar as costas quando alguém querido precisa de ajuda está longe de ser uma atitude louvável. Mas, caso se contamine pelo baixo astral, a situação só vai piorar. “A solução, quando isso acontece, é oferecer alternativas que ajudem o seu amigo a superar os problemas e notar como ele reage. Se sentir que há empenho em ir adiante, persista. Do contrário, vale se afastar para que as dores de cabeça dele não comecem a latejar na sua testa também”, afirma psicóloga.

O comportamento, que até pode soar egoísta numa primeira análise, não tem nada disso. Ao contrário, trata-se de uma semente de bem-estar: mantendo a serenidade e uma postura de satisfação, você atrai mais gente parecida e, como numa corrente, todos conseguem afastar para longe a maré de problemas que afeta um dos integrantes da turma.

Esse mecanismo, aliás, explica o sucesso das comunidades da internet. Nelas, desconhecidos reúnem-se e passam a trocar confidências e palavras de estímulo em favor de objetivos comuns. É o caso dos assinantes do Dieta e Saúde, programa alimentar do MinhaVida. “Eles criam blog e trocam dicas, tirando o peso que a dieta apresenta para muitas pessoas. A rede de relacionamentos criada favorece a cumplicidade e acaba com a solidão, melhorando a autoestima e dando força para que cada um alcance a meta que traçou a si mesmo”, afirma a nutricionista Roberta Stella, responsável pelo programa.

Conheça quatro dicas para afastar o estresse da sua rotina

Publicado em msn.minhavida.com.br

 

Se você tem pouco tempo e preocupações de sobra, certamente o estresse faz parte da sua vida. As opções do que fazer para impedir que isso aconteça são muitas, mas exigem reorganização de horários e, quase sempre, dinheiro: seja para uma aula de pilates, academia de ginástica ou terapia. No entanto, há meios de mandar a ansiedadeembora sem exigir muito de você. Conheça quatro atitudes simples que podem ajudar a aliviar o estresse.

 

Respire 

Não faça nada, apenas preste atenção ao ar que entra no seu corpo. “Aprendendo a controlar a respiração acabamos com todas as perturbações da mente e dos sentidos”, afirma o médico David Frowley, especialista em terapia ayurvédica, sistema de cura tradicional da Índia. Segundo Frowley, nossa energia vem, basicamente, da respiração. “Se o cérebro não recebe a quantidade certa de oxigênio, não temos a energia vital suficiente para nos desenvolver e mudar”, diz.

 

O especialista sugere separar dez minutos do seu dia para a prática. Comece prestando atenção no ritmo em que o ar entra e sai dos pulmões. Aos poucos, vá controlando este intervalo até que ele se torne bem espaçado. Tente contar até dez enquanto puxa e, depois, quando solta a respiração. Fazendo inalações mais prolongadas você fortalece todo o seu corpo e acalma a mente.

 

 

Diga o que pensa 
Claro que não é para sair por aí dizendo tudo aquilo que lhe vem à cabeça. O filtro que divide os pensamentos do que é falado é indispensável no dia a dia, mas é preciso encontrar um equilíbrio. “Quem abre mão de falar o que pensa não se deixa conhecer”, afirma a psicóloga Madalena Cabral Rehder.

Só não esqueça que a comunicação é uma via de mão dupla: falar e ouvir. “Aprender a se comunicar de forma espontânea e com criatividade favorece o crescimento pessoal e profissional”, diz a psicóloga.

Nos momentos explosivos, entretanto, o silêncio é a escolha certa. “Nesses casos, o melhor mesmo é aquietar e, posteriormente, tocar no assunto em outra ocasião”, diz a especialista.

Tenha amigos 
Um estudo realizado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, constatou queamigos podem auxiliar na superação de qualquer tipo de problema. “O acolhimento que os amigos oferecem dá força para resolver as dificuldades, ainda que elas pareçam insolúveis”, diz a psicóloga Marina Vasconcellos.

Outro detalhe importante da pesquisa: conviver com pessoas otimistas eleva as suas chances de dar mais risadas em até 60%. Se a atitude positiva não tem poder de diminuir os problemas, pelo menos impede que eles prejudiquem a sua saúde, agravando quadros de estresse e de doenças cardiovasculares. Mas fique atento: do mesmo jeito que o sorriso é contagiante, o mau humor também se espalha feito poeira.

 

Adote o escalda-pés 
Depois de passar muitas horas do dia com os pés sufocados dentro do sapato, um escalda-pés é tudo o que você precisa. O método relaxa, estimula a circulação sanguínea dos membros inferiores, alivia o estresse e o cansaço acumulado. Basta uma bacia com água quente e sal grosso para diminuir as tensões.

“A melhor maneira de se tirar proveito do escalda-pés é escolher um local tranquilo para que o relaxamento seja completo. Sugerimos colocar uma música bem calma para ajudar”, ensina a terapeuta Shirlei Fideles, do Otris Spa Urbano, de São Paulo.

Quem quiser incrementar a receita pode acrescentar duas gotinhas de óleos essenciais. “Adicionar elementos de fricção, como bolinhas de gude, pedras de rio ou até mesmo grãos de feijão cru promovem uma massagem suave”, acrescenta a terapeuta Érica Viviane Burmeister, do Kyron Spa, de São Paulo. Ela ainda indica os óleos de menta e eucalipto, que combatem a sensação de peso nas pernas.

 

 

Dedique-se a um hobby

Publicado no minhavida.com.br

 

Um hobby faz mais do que deixar seu dia mais divertido. Passar algumas horas numa atividade leve e que traz relaxamento contribui para o seu equilíbrio físico e também para o controle das emoções. “Um hobby praticado com regularidade, ou seja, pelo menos uma vez por semana, é um ótimo antídoto contra o estresse. A atividade funciona como um escape para as tensões e previne problemas sérios, como complicações cardiovasculares”, explica Carlos Galvão, psiquiatra da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Mas não é só isso. A bomba-relógio conhecida por estresse, a cada dia, e associada a novos problemas de saúde. Dor de cabeça permanente, crises de enxaqueca, cansaço exagerado, gastrite e insônia são os desconfortos mais comuns na vida de um paciente que vive sob estresse, de acordo com a psicóloga Marina Vasconcellos.

Reservar alguns momentos para o seu passatempo preferido também contribui para desenvolver o senso de disciplina. “Enquanto relaxa os pensamentos, você melhora o convívio social, diminui a ansiedade e ganha mais gás para manter a rotina”, afirma a psicóloga. “Chega a funcionar como um complemento à terapia“.


Relaxar ajuda a perder peso

Os efeitos positivos ainda vão além e surpreendem até os especialistas, que andam entusiasmados com uma pesquisa recente da Academia Americana de Neurologia: os cientistas descobriram que as pessoas capazes de se manterem relaxadas têm 50% menos chances de desenvolver demência em comparação às pessoas com tendência a se estressar.

E – pode segurar o queixo! – relaxar ajuda até a controlar o peso. Pesquisadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, acompanharam por dois anos o progresso de 225 mulheres com sobrepeso ou obesas e incentivou a prática de meditação entre elas. O grupo que seguiu as orientações teve mais sucesso e perdeu cerca de 2,5 quilos a mais do que a turma do estresse, sob a mesma dieta e a mesma intensidade de treino.

Ficou entusiasmado e não sabe por onde começar? O segredo para escolher uma atividade e não abandoná-la na semana seguinte começa descobrindo os seus verdadeiros interesses. “Muita gente faz escolhas pensando em agradar os outros e deixa de pensar em si mesmo. A alegria aparente, muitas vezes, esconde um estado de estresse e irritação”, afirma o psiquiatra de São Paulo.

 

Como me dedicar a um hobby? 

1- Pense na sua agenda: não adianta decidir surfar, se você não mora perto da praia ou não pode ir sempre para o litoral, por exemplo.

2- Respeite suas vontades: para manter o hobby, você precisa se identificar com ele. Não seja refém da escolha de outras pessoas por preguiça ou comodidade.

3- Trate o hobby como um compromisso:dividir seu tempo entre atividades pessoais e profissionais pode ser difícil no começo. Por isso, calcule quanto tempo você realmente pode se dedicar a um hobby e respeite este limite.

4- Experimente sem culpa: pode começar dançando, caminhando no parque ou fazendo uma leitura interessante. Mas mude de idéia sempre que sentir vontade, só não deixe de reservar um tempo para relaxar.