Alguns segredos fazem mal para saúde mental; veja quando se preocupar

Publicado em UOL/VivaBem,01.08.19
Colaboração: Diego Garcia

Guardar alguns segredos pode trazer mágoa e rancor - Istock
Guardar alguns segredos pode trazer mágoa e rancor

Existem situações que acontecem conosco ou que presenciamos que não nos agradam e que optamos por manter em segredo. Pode ser desde uma situação traumática (como uma situação de abuso) até uma informação que pode prejudicar outra pessoa. Mas dependendo do peso deste sigilo, ele pode começar a se tornar um fardo difícil demais de carregar, mesmo quando fazemos questão de varrer para debaixo do tapete e fingir que ele não existe.

Mas por que fazemos? Para Denise Pará Diniz, psicóloga comportamental, professora e coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), alguns fatores podem explicar isso, como a sensação de estar inseguro ou ameaçado, ou mesmo quais são os valores familiares ou uma dinâmica sociocultural de onde a pessoa vive. O segredo ainda pode estar associado a uma rejeição social, ou seja, as outras pessoas podem não estar preparadas para saber dele.

“Quem guarda segredos negativos pode manter também rancores e mágoas, até em relação a si mesmo e em relação ao outro, o que pode ser prejudicial a vida e saúde deste indivíduo”, explica Diniz.

Quanto mais pessoal e pesado for esse segredo, maior o trauma que ele pode gerar. Situações como violência doméstica e sexual ou questões relacionadas a orientação sexual e de gênero se não tratadas pode comprometer a saúde física e mental do indivíduo, explica Marina Vasconcellos, psicóloga a voluntária do Programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso (Pro-Amiti), do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Os impactos dos segredos

É importante ressaltar que existem diferentes tipos de personalidade, afirma Vicente Cassep-Borges, professor de psicologia da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ele diz, entretanto, que considerando a maioria das pessoas, somos sociais e é comum que o tempo todo busquemos avaliações de nossas condutas em pessoas semelhantes.

“Ao ter a opinião do outro, temos uma boa previsão de quais comportamentos serão mais acertados nas nossas vidas” analisa. Nos privar de nosso instinto social faz com que não saibamos a reação do outro. Pode nos deixar ansiosos na expectativa de que algo ruim aconteça se o segredo for revelado, o que nem sempre pode acontecer.

Diniz afirma que quando a gente guarda não só um segredo, mas um sentimento ligado a ele –como uma mágoa, uma dor ou um pensamento estressante –, o cérebro reage como se estivéssemos em perigo naquele momento, uma reação de estresse. Um conjunto de reações que o organismo desenvolve ao ser submetido a situação que exige esforço de adaptação, para buscar o equilíbrio do organismo.

Segundo Freud se a pessoa cala e se reprime, as mágoas e raivas podem virar doenças. Pode ser que você consiga gerenciar isso, mas, efetivamente quando esse segredo te assola, por exemplo, ocorre um estresse. Se essa situação se repetir por várias vezes seguidas, o indivíduo pode adoecer devido ao aumento do estresse.

Como perceber que um segredo me faz mal?

Uma das maneiras mais importantes de determinar se um segredo está interferindo no seu bem-estar é analisar o quanto ele te incomoda. Você se sente mal quando pensa no segredo? Você se preocupa regularmente com as consequências em sua vida se esse segredo fosse revelado? Você sente vergonha desse segredo?

Guardar segredos fortes pode nos trazer muita ansiedade. “A ansiedade é altamente correlacionada com a depressão. Ao perceber que algo está fazendo a pessoa sentir-se mal, é importante ligar o sinal de alerta”, orienta Borges.

“Se você se sente preso a um segredo, pensa nele todos os dias e ele começa a pesar, é porque não está certo, algo está errado”, analisa Marina. Se o teu segredo te deixa preocupado e você está formando até um pensamento obsessivo, numa coisa que vem todo dia, te atrapalha, te desconcentra, que pode te prejudicar nas relações com as pessoas, pode ser a hora de buscar ajuda.

Observar a intensidade e a frequência dessas sensações também é importante, assim como suas consequências: dores ou mal-estar, vergonha, medo ou depressão, acompanhado ainda de outros sintomas físicos.

Autoconhecimento é a chave

Borges acredita que as pessoas deveriam ser mais compreensivas, no sentido de que é natural que a vida não seja perfeita e isso não desqualifica ninguém. “Muita gente espera o impossível, e quando se espera isso, apenas um mentiroso é capaz de atendê-las. Não revelar a verdade é parte de algo importante para a vida em sociedade, para agradar ou não magoar as outras pessoas”, complementa.

Todos têm segredos e nem todos são ruins ou prejudiciais. Nem todos os segredos incomodam e, em alguns casos, manter certos segredos é necessário. Muitas vezes um segredo que você guarda e te incomoda, é menor do que parece. Conhecer a si mesmo pode trazer respostas para questões simples como, porque que eu estou sofrendo com isso?” ou “preciso realmente levar isso comigo?”.

Foque sempre na sua saúde e bem-estar e se você não conseguir resolver sozinho, não hesite em procurar ajuda com um profissional de saúde mental como um psicólogo. Não se importe com o tamanho do seu problema, sempre existe uma terapia que poderá ajudar.

Comente, debata, entre em contato

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s