Será que seu mau-humor pode ser um tipo de depressão?

Publicado em Uol/Entretenimento, 22.10.18
Por: Simone Cunha 

Mau humor nuvem na cabeçaMau humor, fadiga, irritabilidade e insatisfação são sintomas comuns que podem nascer em fases difíceis da vida. Quem nunca? Porém, se você convive com eles constantemente –sabe a impressão de ter uma nuvem negra sobre a cabeça? — e acha que não há nada que possa ser feito para mudar, é importante buscar orientação médica, pois pode ser algo mais grave.

A distimia, popularmente conhecida como doença do mau humor, é classificada como um tipo de depressão –na verdade, um transtorno depressivo persistente. “Estar sempre ranzinza é um dos sintomas, mas não garante o diagnóstico da doença”, conta o psiquiatra Fernando Fernandes, pesquisador do Programa de Transtornos do Humor do IPq – Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Mas, de acordo com o especialista, é normal sentir tristeza e oscilações de humor em diversos momentos.

A permanência dessa nuvem sobre a cabeça, porém, pode ser um sinal de alerta. “O diagnóstico envolve a avaliação de uma série de outros sintomas, como alterações no apetite e no sono, dificuldade de concentração, ansiedade, angústia, baixa autoestima, falta de energia e cansaço”, descreve o psiquiatra.

Doença ou personalidade ranzinza?

Ainda assim, é comum a distimia demorar para ser diagnosticada porque se confunde com uma característica de personalidade. “Por isso, se o mau humor estende-se há mais de um ano e ocorre sem um motivo específico, é importante tratar”, avisa a psicóloga Marina Vasconcellos.
Fique atento, principalmente, se este estado de espírito provoca sofrimento intenso e leva a atitudes ranzinzas, capazes de atrapalhar relacionamentos. O sentimento crônico pode desencadear prejuízos que vão se acumulando. “Trata–se de uma doença incapacitante, que interfere diretamente nas relações sociais. Pacientes que mantêm sintomas depressivos crônicos ao longo da vida acabam tendo menor escolaridade, menor renda e se casam menos. Ou seja, todas as as áreas da vida são afetadas”, alerta.

Como tratar?

Por isso, quem convive com a pessoa mal-humorada pode perceber o distúrbio e incentivá-la a buscar ajuda. O tratamento é realizado com antidepressivos e psicoterapia. “Muitas vezes, é indicado uma terapia familiar, pois pode ser que a doença já tenha desgastado os relacionamentos. Quem convive com alguém com distimia pode considerá-lo chato, rabugento ou desanimado sem saber que há um transtorno em questão, que precisa ser revisto e recuperado”, observa a Sonia Palma, vice-presidente do Conselho Científico da Associação Brasileira de Familiares Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata).

De acordo com Palma, a prevalência dessa doença varia entre 3% e 6% da população geral, lembrando que a dificuldade no diagnóstico pode interferir nesse número. É duas vezes mais comum em mulheres e em pessoas solteiras. “Quase metade dos pacientes não são diagnosticados com distimia e, com o passar do tempo, fica difícil identificar o início da doença”, destaca. Sem o tratamento adequado, o quadro pode evoluir com episódios depressivos mais intensos.

Para Vasconcellos, é fundamental que o paciente queira mudar. “A melhora nem sempre é rápida, mas é preciso ter disposição para alterar seu posicionamento na vida e experimentar novas formas de agir“, diz. Já o psiquiatra Fernandes alerta que, independentemente de uma possível evolução da doença, vale aproveitar todas as chances de tentar se livrar da doença. Esse, talvez, seja o melhor argumento para convencer alguém sempre ‘de mal com a vida’ a buscar ajuda.

Comente, debata, entre em contato

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s