Síndrome da vergonha do corpo

Publicado no Atmosfera Feminina em 19/03/2014

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

É tanta correria no dia a dia que muitas mulheres só lembram que não levaram a dieta e a ginástica a sério bem na hora de vestir o biquíni. Em contrapartida, há aquelas que comem direitinho e malham regularmente e, mesmo assim, não estão seguras o suficiente para se expor no duas-peças. Seja qual for o seu caso, o fato é que o momento de aproveitar a praia e a piscina é agora; e não vale perder essa deliciosa oportunidade enquanto ainda está calor.
Para se sentir ainda mais estimulada a se divertir sob o sol sem encanações, o negócio é se propor a parar de ser infeliz por não entrar num biquíni tamanho P – a felicidade vai muito além disso, pode acreditar. “É normal a mulher estar insatisfeita com o próprio corpo, especialmente aquela que não tem tempo para se cuidar como gostaria. E isso tem até seu lado bom, já que pode servir de estímulo para melhorar os hábitos e manter a linha ao longo do ano todo, não apenas durante a temporada de calor”, lembra a psicóloga pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Marina Vasconcellos. Porém, o que não vale é transformar esse desejo de emagrecer a todo custo e da noite para o dia em fissura: não há saúde que resista!
Vontade de arrasar na areia à parte, também é válido se questionar sobre como você se vê. Se respondeu que é uma eterna insatisfeita com o espelho e, ao contrário do que sua família e amigos dizem, acha que está com muito peso, com gordura demais sobrando e não tem o direito de ir à praia nem de maiô e canga, talvez seja uma boa pedida conversar com um especialista. “A anorexia nervosa causa essa distorção da imagem corporal, e consultar um profissional ajuda a entender que nem tudo se resume a um corpo ‘perfeito’”, avisa a doutora Marina Vasconcellos.