Vergonha dos pais é comum, mas nem sempre deve ser tolerada

Publicado no UOL em 09/01/2013

Tratando o filho como um bebê, os pais podem estar colaborando para que ele se afaste

Tratando o filho como um bebê, os pais podem estar colaborando para que ele se afaste

É comum ouvir os jovens pedirem aos pais para não os deixarem em frente ao portão da escola ou da festa dos amigos. O comportamento é típico da fase e tem a ver com o medo de que os adultos não se comportem adequadamente na frente da turma, o que pode torná-los motivo de chacota. “Nesse sentido, a distância que o adolescente estabelece serve apenas para evitar acontecimentos constrangedores para ambas as partes”, afirma a psicóloga Jane Felipe, professora da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

A vergonha da família também pode ser fruto da sensação de que os pais são inferiores aos amigos em alguns aspectos, como a condição econômica ou cultural. “À medida que o adolescente vai notando as diferenças, a partir do contato com outras realidades, ele pode começar a negar suas origens”, diz Jane.

Além disso, o desejo do jovem de se mostrar mais independente, de se afastar tanto quanto possível da imagem da criança que necessita da proteção dos adultos, pode estar motivando esse tipo de atitude.

De qualquer forma, é válido que os pais analisem se não estão dando motivo para o comportamento arredio do adolescente. “Muitos querem bancar os engraçadinhos na frente dos amigos do filho. Outros tratam o jovem como se fosse um bebê. Agindo assim, eles o deixam em uma situação realmente difícil diante da turma, sem perceber ou mesmo sem ter a menor intenção de prejudicá-lo”, fala Jane.