Curta um tempo a mais com sua família

Publicado no Portal Atmosfera Feminina em 10/02/2011

Foto: Reprodução

“Minha vida está um corre-corre e estou sem tempo para nada”. Esta é a frase que mais se ouve hoje em dia. Se ela faz parte do seu dia a dia, cuidado: pode ser que você também esteja com pouco tempo de sobra até mesmo para a sua própria família.

Para Marina Vasconcellos, psicóloga pela PUC-SP, os pais estão perdendo cada vez mais o contato com os filhos. “As pessoas estão trabalhando demais e, com a invenção da internet, dos e-mails, continuam trabalhando quando chegam em casa. E a pergunta a fazer é: você está acompanhando o crescimento dos seus filhos? Está se inteirando direito dos problemas deles? Têm dedicado tempo para conversar com eles?”, questiona Marina.

Segundo a psicóloga Silvia Pedrosa, especializada em terapia familiar, a importância de ficar com os filhos não se refere à quantidade de tempo, mas sim à qualidade do convívio. Se a criança é pequena, por exemplo, o importante é promover uma brincadeira e fazer parte dela, se envolver, se divertir.

Conviver, participando de todas as fases de crescimento e desenvolvimento do filho, é fundamental, é dessa forma que se vai educando, formando conceitos, valores, trocando, porque o filho ensina também.

“Sem convivência e troca de afeto, o vínculo fica comprometido. Os sentimentos que criam laços entre pais e filhos são frutos do convívio ao longo do tempo, da amizade, da confiança que vai se estabelecendo dia após dia, das conversas, dos limites, da superação dos conflitos inerentes a todos os relacionamentos, do respeito mútuo, entre outras coisas”, afirma Silvia.

Fortaleça o vínculo com a família

A psicóloga Marina Vasconcellos dá algumas sugestões importantes:

– Reserve momentos do seu tempo para se dedicar exclusivamente à família, nem que seja nos fins de semana.

– Lembre-se: qualidade é mais importante que quantidade. O ideal é ter os dois. Quando estiver presente com a família, esteja por inteiro.

– Quando fizer atividades com a família, principalmente externas, desligue o celular.

– Se os seus filhos são adolescentes, escolha programas mais ativos, dinâmicos. Mas lembre-se: sempre pergunte o que eles querem. Às vezes, sem querer, acabamos impondo algo que não tem nada a ver com o que eles realmente curtem.