Não tem problema errar, mas aprenda!

Parece papo de mãe, mas a coisa boa de errar é aprender com os deslizes; mas fique sabendo: só assumir não vai resolver

Publicado na MTV

Foto: Reprodução

Felipe Melo voltou para o Brasil como o grande vilão da Copa – apesar de ter pedido desculpas timidamente aos torcedores, não admitiu seu erro e disse que poderia ter feito muito pior. Assim como o jogador, muitas pessoas, movidas pela impulsividade, acabam tomando atitudes das quais se arrependem depois. O arrependimento é o primeiro passo para dar a volta por cima, mas não é suficiente para, como diz o ditado, aprender com os erros. “Não adianta só dizer que fez errado. É preciso parar para pensar e ver por que fez. É só descobrindo as razões que as pessoas começam a aprender alguma coisa”, afirma a psicóloga e psicanalista Suely Gevertz.
A psicóloga Marina Vasconcellos compara nossa vida a uma espiral. De acordo com ela, à medida que evoluímos e crescemos, vamos mudando de estágio. O problema é quando a gente comete sempre os mesmos erros e não passa de “nível”. “A superação tem a ver com olhar para si mesmo, assumir os erros, ouvir as pessoas, refletir0 e estar disposto a melhorar”, diz. Ou seja, ninguém precisa sofrer demais, porque errar faz parte do jogo! Nossa meta é apenas melhorar.