Passo a passo para ele perdoá-la

Pisou na bola e deixou o bonitão chateado? Calma: siga o nosso roteiro e terá grandes chances de voltar a reinar no coração do moço

Publicado no Portal M de Mulher em 17/01/2011

Foto: Getty Images

Reconheça o erro

Admitir a falha é essencial para a reconciliação. É quase impossível existir paz sem arrependimento

Por quê? Não importa se foi pega numa mentirinha boba ou se fez algo realmente grave: admitir o seu deslize é o primeiro passo. Difícil, claro… Mas fundamental. Só dá para solucionar o problema se localizá-lo.

O que fazer? Segundo a terapeuta de casal Albangela Ceschin, é importante pensar sobre os motivos que a fizeram agir mal. Se o conflito começou por uma crise de ciúme, por exemplo, tente encontrar a origem de sua insegurança. “Muitas vezes, a pessoa se torna ciumenta por ter baixa autoestima ou por uma questão de histórico de relacionamentos anteriores ou até familiar”, explica a psicóloga.

Dê espaço para ele

Isso ajudará o moço a digerir o que houve

Por quê? “É saudável e construtivo dar ao parceiro um tempo para elaborar a situação. Pressionar com justificativas na hora do conflito, querendo perdão imediato, mais irrita do que comove”, explica Margarete Volpi, terapeuta especialista em sexualidade. A terapeuta de casal Marina Vasconcellos reforça: “As pessoas têm tempos diferentes; saiba esperar”.

Cuidado: mantenha-se na sua, mas tente contato com o gato de vez em quando. “Se ficar apenas esperando ele ligar, pode parecer que não se importa tanto”, alerta Ailton Amélio, autor do livro Relacionamento Amoroso (Publifolha, R$ 27,92).

Hora de conversar

Após a poeira baixar, tente conversar

Como fazer: é preciso, sobretudo, ouvir. “Você pode até se explicar, mas fuja da disputa”, alerta Ailton Amélio. Deixe que ele desabafe e demonstre interesse por seus sentimentos. Para o psicólogo, também é essencial não tentar diminuir a extensão o erro. “Assuma a responsabilidade por ele”, orienta.

Atenção: seja honesta, não finja. As pessoas costumam mentir quando têm medo que o parceiro não concorde – ou até mesmo fique chateado – com aquilo que elas defendem. “Bobagem. Num relacionamento amoroso você não é obrigado a concordar com o outro, mas precisa, sim, aceitar as escolhas dele”, diz Margarete Volpi.

Presentinho?

Não soluciona, mas pode ajudar

Por quê? Ailton Amélio acredita que, às vezes, uma lembrancinha tem incrível poder conciliador. “Presenteá-lo com algo que ele realmente gosta ou que remeta a um aspecto carinhoso da relação pode ser bom para quebrar o gelo”, opina o especialista.

Cuidado: é preciso pertinência. Nada de exagerar no valor ou no mimo em si (por exemplo, uma faixa na frente do trabalho dele). O rapaz deve perceber que você sempre deseja agradá-lo e que não está fazendo isso só por causa da discussão. Por isso, se não tem o hábito de presenteá-lo, melhor evitar essa tática – ela poderá ser confundida com suborno ou chantagem emocional!

Renove o pacto

Converse sobre as expectativas de vocês

O que fazer? “Na hora da reconciliação é importante fazer uma ‘renovação do contrato’ e falar sobre o que esperam do relacionamento”, diz Albangela Ceschin. Vocês devem conversar para saber o que um pode oferecer ao outro em termos de tempo e dedicação e negociar expectativas incompatíveis. “Não adianta esperar que o outro mude por uma necessidade sua”, alerta Margarete Volpi.

Cuidado: muitas vezes, quando um dos dois não fala sobre o que espera do outro, acaba se frustrando. “O seu parceiro não tem bola de cristal. O que para você parece óbvio pode não ser para ele. Fale tudo aquilo que deseja”, defende Marina Vasconcellos.

Foto: Getty Images

Ele perdoou… e agora?!

. Para fazer valer a confiança restabelecida, policie-se para não repetir o erro. “Se o problema se tornar recorrente, isso desgastará o relacionamento”, alerta Volpi.

. Às vezes, para não reincidir na mancada, é preciso uma mudança comportamental. “Nesse caso, a pessoa passará por um processo e pode dar uma escorregada. Mas se ela realmente quiser mudar, não deve desistir”, explica Vasconcellos. Para a especialista, quando existe amor das duas partes sempre vale a pena lutar para conquistar o perdão do outro.