E viveram felizes… por alguns meses

Fim do casamento de Marc Jacobs levanta a dúvida: por que casamentos anunciados com tanta pompa e circunstância acabam tão rápido?

Publicado no IG Delas em 26/07/2010

O publicitário Lorenzo Martone e o estilista Marc Jacobs: sempre juntos em eventos, eles dividiam o mesmo teto em Nova York (Foto: Brainpix)

Após ter comprado uma casa junto ao parceiro, o estilista norte-americano Marc Jacobs no início de 2009 em Nova York, nos Estados Unidos, e ter sido visto pelos quatro cantos do mundo mais unido a ele do que qualquer outro casal, o publicitário brasileiro Lorenzo Martone anunciou em sua página do Twitter o fim do relacionamento – oficializado há menos de um ano, em uma exclusivíssima festa em St. Barth’s. Já havia desconfianças sobre o fim da dupla mais dinâmica do mundo da moda, mas uma questão fica no ar: onde foi parar aquele amor exposto com tantas demonstrações de carinho e afeto? Por que, ao que parece, o amor entre os famosos acaba tão depressa?

O caso deles não é muito diferente de tantos outros “casamentos-relâmpago”. Ronaldo e Daniella Cicarelli, Alexandre Pato e Sthefany Brito, Roberto Justus e Adriane Galisteu. Estes são alguns dos casais que, depois de brotarem com tanto amor para dar, terminaram como num passe de mágica. De acordo com Cida Lessa, psicóloga e psicanalista especializada em sexualidade humana, existem várias hipóteses para que isso aconteça. Uma delas é a oficialização da união com pouco tempo de convivência: “Hoje estão quebrando ou diminuindo etapas, e quando não há conhecimento suficiente sobre o outro as decepções podem ser ainda maiores”.

Segundo ela, é preciso atingir um ponto de maturidade no relacionamento antes que o casal divida o mesmo teto. “Se uma pessoa sobe ao altar baseada somente no encantamento que sente pela outra, como no caso destes famosos que se casam com pouco tempo de namoro, aquilo que ela chama de amor pode acabar por qualquer motivo”, afirma. Afinal, até aquele momento a convivência girou principalmente em torno de passeios, viagens e restaurantes chiques, o que não possibilita conhecer o outro suficientemente bem – desde saber o que ele prefere no café da manhã até compartilhar objetivos de vida.

Amor ou aparência?

Segundo a especialista, querendo ou não, quanto mais sua vida pessoal é exposta aos outros, maior se torna a cobrança sobre o que deve ser feito ou não. “Atualmente existe uma dificuldade muito grande para as pessoas descobrirem o que sentem ou não, e se ela não tem tanta clareza, acaba tomando decisões baseada no que acontece externamente, de uma maneira insustentável e artificial”, revela. Ou seja, quanto mais fotografias do casal na revista, mais precipitada pode ser a decisão pelo casamento, com toda sua pompa e circunstância.

Para Marina Vasconcellos, terapeuta familiar e de casal, a aparência interfere nas escolhas das celebridades. “Muitas vezes é até por conveniência: há famosos que se unem e se separam para aparecer, ter um momento maior de glória e aumentar o cachê depois”, diz a especialista. Ela concorda que a exposição do casal pode levá-lo a agir de uma maneira pouco refletiva e simplesmente comprar a própria imagem de romance e amor eterno estampada nas revistas: “Se aparecem fotos por todos os lados, por exemplo, um casal pode acabar se enganando porque passa a acreditar que aquilo é o melhor para ambos”.

Passada a fase de fantasia e excessiva atenção voltada ao relacionamento de dois famosos, um casal que junta as escovas de dentes rapidamente pode muito bem perder o entusiasmo quando os holofotes começam a apontar outras direções. “Passada a notoriedade do relacionamento, um casal pode começar a perceber que nem conhece a pessoa com quem foi ao altar”.

Paixão dura pouco

Vasconcellos ressalta mais uma armadilha das relações superexpostas entre os famosos: por se envolverem rapidamente, muitos destes casais confundem paixão com amor e se casam com a imagem ou com o status do outro. “Sempre ouvimos que um determinado casal de atores se uniu durante a gravação de uma novela, por exemplo, mas pode acontecer de um ter se envolvido mais com o personagem do outro do que com a própria pessoa. Quando o relacionamento sai dos sets percebe-se que houve um engano”, explica a especialista.

Mas não se pode descartar o contrário. O maior cuidado que os famosos devem ter é não expor em excesso a vida pessoal. “A Gisele Bündchen, por exemplo, não fala da vida particular dela”, lembra a especialista. O casamento da top foi discretíssimo. Resta saber quanto vai durar.

Na saúde, na doença e nas manchetes
Relembre os “casamentos-relâmpago” dos famosos

Marc Jacobs e Lorenzo Martone
Quando:
2008/2010
Duração: menos de um ano (depois do casamento)
Ao longo dos quase 2 anos de relacionamento, ouvimos vários boatos de que o estilista e seu namorado, o publicitário brasileiro Lorenzo, se “casariam em breve”. O casal oficializou a união durante uma estadia em St. Barth’s no começo deste ano e dividia casa em Nova York. Os dois, sempre badalados, apareciam juntos em eventos, festas e viagens.

Ronaldo Nazário e Daniela Cicarelli
Quando:
2005
Duração: menos de 3 meses
A modelo e o jogador de futebol se casaram em um castelo nos arredores de Paris. Pouco tempo depois, o conto de fadas desandou: Daniela perdeu um bebê e o craque não veio ficar com ela. Foi a gota d’água que precipitou o fim do casamento – que, aliás, era simbólico, já que Ronaldo ainda não tinha finalizado seu divórcio de Milene Domingues, primeira esposa dele