Hotéis dos EUA oferecem pacotes de ‘desintoxicação digital’

Hóspedes devem deixar aparelhos eletrônicos na recepção dos hoteis.
Psicóloga defende que as pessoas devem-se impor limites à conexão virtual.

Publicado no G1 em 08/07/2011

Enquanto a tecnologia se torna cada vez mais portátil e presente na vida dos viajantes em todo o mundo, há quem comece a achar que as férias devem ser um momento mais desligado do mundo virtual. Vários hotéis dos Estados Unidos criaram, nos últimos meses, pacotes que oferecem “desintoxicação digital”.

A proposta é que os hóspedes deixem do lado de fora seus smartphones, tablets e todos os aparelhos tecnológicos que não são largados no dia-a-dia, e mergulhem em momentos de descanso, livres da tecnologia. “Pode ser uma chance de as pessoas voltarem um pouco ao mundo real, ao contato físico umas com as outras e ao autoconhecimento”, explicou a psicóloga Marina Vasconcellos, terapeuta familiar e de casal pela UNIFESP, em entrevista ao G1.

O Lake Placid Lodge, em NY, oferece um pacote de turismo de duas noites completamente desligado da tecnologia em um local isolado à beira do lago (FOTO: Divulgação)

O Lake Placid Lodge, localizado no estado de Nova York, é um dos locais que buscam evitar que os hóspedes continuem ligados a sua vida por meio da internet. O hotel oferece o pacote “Check-in to check-out”. A ideia o hóspede é chegar lá e sair do mundo virtual por duas noites em um chalé sem televisão ou conexão com a internet.

“Nosso sistema de entretenimento dentro do quarto é uma lareira, a vista para o lago e a companhia um do outro”, diz o anúncio do pacote de duas noites, que custa US$ 1.340.
Todos os equipamentos eletrônicos devem ser deixados na recepção do hotel.

Além do chalé e da desintoxicação do mundo virtual, o hotel oferece aulas de yoga, área para pesca, barcos para passeio, livros e aulas de gastronomia.

 

 

Digital Detox
Segundo a psicóloga, a ansiedade de estar conectado o tempo todo vem da falta de limite das pessoas. “A partir do momento em que os smartphones permitem, as pessoas acham que precisam ficar conectadas o tempo todo. As pessoas deveriam se colocar limite permanentemente”, disse. Segundo ela, isso pode ser um problema psicológico. “Tem gente que fica muito ansiosa.”

Página do grupo americano Via Yoga promove viagens para a praia sem o uso de aparelhos digitais por uma semana (Foto: Reprodução)

Para ela, entretanto, o ideal desse tipo de hotel com isolamento do mundo virtual é o convívio com outra pessoa, especialmente no caso de casais, que podem se aproximar mais. “Ficar nesses hotéis pode gerar sitauações de desespero, se a pessoa não for disposta, ou se estiver sozinha. A tecnologia pode ser um vicio, e é tão difícil ficar sem ela quanto qualquer outro vício.”Todos esses pacotes podem ser saudáveis, segundo a psicóloga, mas é importante que todas as pessoas tentem fazer um pouco de reeducação digital em seus cotidianos. “A ideia de ficar desconectado pode ser saudável para todo mundo. Ninguém morre de ficar sem internet por um tempo. O ser humano precisa de contato real com as pessoas no mundo físico. A desconexão pode forçar a pessoa a buscar esse contato verdade”, disse Vasconcelos.

Desplugados
Além do Lake Placid, de NY, vários outros hotéis americanos já têm pacotes para turismo “desplugado”.

O hotel Renaissance de Pittsburg, na Pensilvânia, oferece em sua programação o pacote especial “Zen and the Art of Detox” (Zen e a arte da desintoxicação). O hotel avisa que antes da chegada do hóspede, a televisão, o telefone e todos os outros aparelhos tecnológicos “serão retirados do seu quarto e substituídos por clássicos literários”. O pacote oferece um quarto de luxo com vista para o rio e aulas de caiaque. “Esta é a chance para se recuperar do mundo cheio de estímulos”, diz o anúncio.

Os celulares, laptops e todos os outros aparelhos tecnológicos dos hóspedes devem ser entregues ao hotel na hora do check-in, sendo devolvidos na hora de deixar o hotel. Cada diária do hotel custa entre US$ 199 e US$ 399. a tarifa regular do hotel custa em torno de US$ 299.

Já na capital dos Estados Unidos, o hotel Quincy promete um pacote “desplugado” a seus hóspedes. “Desintoxicar-se da tecnologia é relaxar, passar tempo ao ar livre e fazer as coisas que você parece nunca ter tempo para fazer”, diz o hotel.

Os hóspedes que aceitarem a proposta de “desplugue” ganham um vale compras de US$ 25 em uma livraria próxima ao hotel, um guia de passeios na cidade e um diário para anotações sobre a viagem.

Os quartos duplos no pacote “desplugado” do hotel de Washington DC têm diárias de cerca de US$ 200.

A empresa Via Yoga, de Seattle, oferece uma viagem completa de uma semana de desintoxicação digital. O grupo leva seus clientes para praias na Costa Rica e no México, tudo acompanhado por aulas de yoga e sem usar smartphones e tablets em nenhum momento. Alguns jornais dizem que é comum até ter descontos para aceitar pacotes de viagens sem equipamentos eletrônicos pelo Via Yoga.