Estresse pode ser responsável por alguns quilos a mais na balança

É importante tentar descobrir quais os fatores que estão estimulando o problema

Publicado em 15/10/2010 no www.minhavida.com.br

 

Se você anda cansado, desconcentrado, com dores no corpo ou ansioso, cuidado! Esses podem ser os primeiros sintomas de estresse. A OMS (Organização Mundial de Saúde) avalia que 90% da população está sob o impacto do estresse, ou seja, uma epidemia em larga escala.

De acordo com a psicóloga Marina Vasconcellos, uma pessoa estressada fica visivelmente mais irritada, sem paciência, podendo sentir fisicamente alguns incômodos, como dores de cabeça, cansaço exagerado, gastrite, úlcera e insônia. A longo prazo, ele pode ser responsável por alguns quilinhos a mais na balança.

Segundo um estudo feito por profissionais do Instituto Weizmann, de Israel, quando estamos estressados, o cérebro produz uma proteína chamada UCN3, que aumenta a fome e diminui a sensação de saciedade.

De onde vem o estresse? 
Mas, afinal de contas, o que é e como aparece o estresse? A resposta está concentrada no sistema de ação e reação acionado pela relação das pessoas com o meio ambiente.

Desde os primórdios da história do homem, o cérebro desenvolveu por meio de “respostas” em defesa a situações que ameaçavam a integridade do indivíduo. Uma série de reações químicas, com descarga de hormônios, é desencadeada e nos prepara para o pior.

Essas experiências – e as reações que o organismo adotou quando isso ocorre, ficaram gravadas como ruins. Basicamente o cérebro funciona buscando o que é bom e tentando evitar e se proteger do que é ruim.

Quando algum tipo de situação nos esgota, nos preocupa ou nos sobrecarrega, o que ocorre dentro do corpo é quase um preparo para guerra. E como as situações chatas do mundo contemporâneo costumam ser repetitivas (trânsito, excesso de trabalho, pouco tempo para o descanso e etc.), as reações tornam-se corriqueiras e o estresse progride.

Como combater este mal 
Segundo a psicóloga e psicanalista Claudia Finamore, a melhor forma de combater este problema é se conscientizar e aceitar que está estressada. Depois, é preciso mudar os hábitos. “Muitas vezes, na correria do dia a dia, as pessoas não percebem como se sentem. É importante tentar descobrir quais os fatores que estão estimulando o estresse e quais as razões para isso”, afirma a especialista.

Claudia diz que é interessante criar possibilidades de lazer e relaxamento. Buscar atividades que tragam descontração e aliviem as tensões.

Muitos passam a vida toda estressados sem se dar conta disso. “Tentar diminuir o ritmo de trabalho, praticar exercícios, garantir um tempo para o lazer e fazer terapia são boas alternativas para afastar o problema”, afirma a psicóloga Marina Vasconcellos.

Algumas atitudes na sua rotina podem afastar o estresse da sua vida. Manter uma alimentação saudável, rejeitar calmantes sem orientação médica, evitar o fumo, café e bebidas alcoólicas, buscar um sono restaurador, conhecer o seu corpo e sua personalidade são artifícios que enfatizem sua escolha por qualidade de vida e bem-estar. Assim, o cérebro responderá ao estímulo positivamente, liberando hormônios ligados ao prazer. Essa sim é a fórmula mágica da felicidade.